Você sabe se está com fome?

Reconhecer quando estamos com fome parece ser um instinto simples, mas, muitas vezes, é bem mais complexo do que parece.

Você consegue perceber se está com fome ou apenas sentindo vontade de comer? Vamos conversar um pouco sobre o tema neste artigo.

O que é fome?

Fome é uma sensação fisiológica para indicar que estamos precisando alimentar nosso corpo e suprir suas necessidades de manutenção e sobrevivência. Quando estamos com fome sentimos o estômago desconfortável, fraqueza, dor de cabeça, tontura e até irritação.

Porém, não nos alimentamos apenas por fome, mas também comemos por sentir vontade, desejo por algo que parece gostoso, mas que não é necessário, por prazer e por vários outros motivos.

Essa fome é denominada de fome emocional e está muito mais relacionada à nossa mente e às nossas emoções do que a necessidade do corpo de se manter nutrido.

Para observarmos qual tipo de fome estamos sentindo, cada vez mais nós, nutricionistas, temos estudado o mindful eating – comer consciente ou comer com atenção plena. Através dessa técnica podemos observar 9 tipos de fome que podem gerar um gatilho e te fazer comer sem perceber.

Vamos conhecer cada uma delas:

1 – Fome dos olhos

A visão é grande influenciadora das nossas escolhas alimentares, afinal, nós “comemos pelos olhos”. Então ponha uma bela mesa, arrume seu prato nutritivo de maneira bonita e capriche na apresentação da sua refeição. Evite se distrair com televisão e celulares, assim, você comerá com mais prazer ao olhar uma comida bonita.

2 – Fome do olfato

Geralmente, aromas que te agradam despertam a fome. Aquele cheiro de pizza, bolo quentinho ou de uma feijoada podem te remeter a lembranças agradáveis e despertar o seu apetite.

A indústria de alimentos se utiliza desse conhecimento e inclui diversos aromatizantes em inúmeros alimentos para despertar nosso desejo de consumi-los. Experimente, então, sentir o aroma dos alimentos com os olhos fechados e antes de levá-los à boca.

3 – Fome de boca

É muito comum considerarmos alimentos mais atraentes e apetitosos pela cultura em que estamos inseridos. Em alguns lugares os sabores mais azedos são mais tolerados, enquanto em outras culturas os doces são mais comuns e por aí vai.

Comendo uma garfada após a outra e sem prestar atenção à sua salivação, mastigação e em todas as sensações que o alimento dentro da boca te provoca, pode te privar de satisfazer a fome de boca.

Procure observar atentamente e ficar consciente de todo alimento que estiver levando à boca.

4 – Fome do tato

Aquela sensação de reconhecer se uma fruta está madura ou não através das mãos e perceber a textura de cada alimento satisfaz nossa fome de tato. Os bebês usam muito o tato para reconhecer os alimentos e experimentar novas preparações. Procure sentir sua comida, cozinhar, preparar o que vai comer.

5 – Fome do ouvido

Perceba o barulho que os alimentos fazem quando mastigamos. Preste atenção ao barulho da comida, sem distrações, e identifique aqueles barulhos que mais te satisfazem. Às vezes uma boa música ou algum outro barulho pode sanar a fome de ouvido sem que você precise devorar um pacote de algum biscoito crocante.

6 – Fome do estômago

Nosso estômago e todo o nosso trato digestivo são altamente influenciados pelas nossas emoções, situações de estresse, angústias e nervosismo. Procure identificar se aquele vazio no estômago tem relação com alguma emoção ou se realmente ele está precisando de comida.

Prestar atenção durante a refeição se já está com estômago cheio e não continuar a comer “só porque está no prato” é um bom exercício para identificar e satisfazer sua real fome de estômago.

7 – Fome celular

Essa é a fome que demonstra que realmente nosso corpo está precisando de comida.

É a mais difícil de identificar, pois ao longo da vida vamos perdendo essa percepção e nos ajustando a convenções e regras de conduta, como, por exemplo, termos hora para almoçar, para jantar e por aí vai. Dor de cabeça, irritação e fraqueza são sinais de fome celular. Procure ficar atento aos seus indícios.

8 – Fome da mente

Somos altamente influenciados pelo nosso meio. Comemos porque é saudável, porque devemos, porque merecemos e por diversos outros pensamentos que norteiam nossas escolhas. Ficamos bombardeados de pensamentos e tentamos satisfazer nossa mente comendo o que pensamos ser importante naquele momento.

9 – Fome do coração

É aquela fome que sentimos para confortar nosso coração, a confort food, que não necessariamente é um doce ou algo não saudável. Pode ser apenas aquela comida que te remete a boas lembranças, momentos felizes e que “te abraça”.

Procure perceber se esta fome pode ser suprida com a presença de um amigo, um familiar, um passeio ou algo que te traga conforto sem, primeiramente, buscar esse acolhimento na alimentação.

Identificar e reconhecer os diversos tipos de fome nos torna mais aptos a lidar com nossos desejos e com nossas reais necessidades fisiológicas.

Está tudo bem comer por um carinho consigo mesmo, porém, o importante é perceber que está agindo assim, não exagerar nas quantidades e procurar ter atenção plena a qual fome você realmente está sentindo!

Nutricionista Maria Clara Pinheiro

Deixe uma resposta