Separe a gordura boa da ruim e coma de tudo sem prejudicar a dieta

Adora comer uma carne? Um salgadinho? Um sanduíche? Mas a sua dieta nova proíbe tudo isso para dar resultado? Sai fora!

A maioria das dietas têm um enfoque apenas na alimentação. A maioria das delas tende a ignorar exercícios e outros fatores necessários para o emagrecimento sustentável. Você quer perder peso agora e depois engordar tudo de novo ou você quer emagrecer e manter seu corpinho em forma e ser uma pessoa saudável?

Se a sua resposta foi “quero manter meu corpo em forma e ser saudável” você precisa aprender a escolher alimentos saborosos, nas porções corretas, que promovem a saciedade por mais tempo.

Pensando nisso, vamos esclarecer o mito das gorduras para vocês! A primeira coisa que é preciso entender é: precisamos das gorduras! Elas são vitais para o bom funcionamento do organismo (e dos biquínis no verão).

Elas servem de base para a formação de diversos hormônios do corpo – inclusive os sexuais! O problema é que há muitas variações desse nutriente. Por isso, você deve sempre separar o joio do trigo. Melhor dizendo, a gordura boa da gordura ruim.

Colesterol

Este é o tipo de gordura meio termo. Por um lado, desempenha um papel importante no organismo, pois participa da produção dos hormônios sexuais e das glândulas supra-renais, além de ajudar na formação da membrana celular e da bílis (substância produzida pelo fígado, fundamental para a digestão das gorduras).

Por outro lado, consumida em excesso faz mal. A razão disso é que para ser transportado pelo corpo, o colesterol conta com a ajuda de uma proteína chamada LDL (considerado o colesterol ruim). No vai-e-vem, a proteína acaba deixando rastros da gordura pelo caminho, formando as placas prejudiciais à saúde.

Fique atento: o segredo para manter o equilíbrio e ficar longe das doenças cardiovasculares é controlar os alimentos de origem animal, como carne, leite, derivados e embutidos, apresentam esse tipo de gordura.

Gorduras Saturadas

Cuidado! São as piores. Sabe aquela gordura de porco que sua avó tinha guardada na cozinha ou a faixa da picanha que causa arrepios no seu Cardiologista? Então. Estes são bons exemplos.

As gorduras saturadas contêm o número máximo possível de átomos de hidrogênio (daí o termo saturadas ), e são um passaporte garantido para umas férias no CTI mais próximo.

Fique atento: esse tipo de gordura está presente nos alimentos de origem animal, como carnes, leite e derivados, ovos.

Gorduras Trans

É ela a responsável pela forma, textura e sabor dos alimentos industrializados. Mas, assim como a gordura saturada, a trans aumenta os níveis do mau colesterol no sangue e ainda diminui as taxas do colesterol benéfico ao organismo, o HDL.

Fique atento: ela pode ser encontrada em grandes quantidades em margarinas, biscoitos, pacotes de batatinhas fritas, salgadinhos e inúmeros outros alimentos industrializados.

Leia os rótulos para certificar-se onde tem. Além disso, também está presente naturalmente, e em menor proporção, nos alimentos de origem animal.

Gorduras monoinsaturadas

Elas fazem parte do time das gorduras do bem! Quase sempre Líquidas à temperatura ambiente, reduzem os níveis de colesterol LDL, considerado o colesterol ruim.

Fique atento: o Azeite de Oliva é representante mais famoso deste grupo. Abacate e amendoim também são alimentos ricos em gorduras monoinsaturadas.

Gorduras poli-insaturadas

Assim como as monoinsaturadas, esse tipo de gordura ajuda a diminuir o colesterol ruim. Por outro lado, se consumidas mais do que o indicado, as poliinsaturadas podem fazer os níveis de HDL (o bom colesterol) diminuírem. Conte com elas também para ficar longe dos coágulos nas artérias.

Fique atento: as gorduras poliinsaturadas são encontradas nos peixes de água fria e nos óleos de soja, milho e girassol. Somando sua ingestão com as monoinsaturadas, as gorduras não devem ultrapassar os 20% do total de calorias diárias.

Todas as nossas refeições contêm as informações nutricionais e são produzidas através da culinária light. Você perceberá que estamos sempre atentos às gorduras que serão adicionadas as nossas comidas. Confira  →

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta