logoblog

Sal nos produtos

Neste mês de abril teremos o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, celebrado em 26/04 e, por isso, falaremos sobre o sal.

Foram encontrados resquícios de sal em potes cerâmicos que eram destinados à preparação de alimentos com data estimada de 6.050 a.C.

A partir de então, sua produção veio aumentando gradativamente ao longo dos anos, sendo hoje, o consumo de sal em excesso a principal causa do aumento da pressão arterial e por isso, não à toa, ele acaba sendo vilão para aqueles que desejam manter uma alimentação equilibrada.

A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que o consumo diário de sódio não ultrapasse 2.000 mg, o que representa 5 gramas de sal ao dia.

Na última década, o governo brasileiro assinou um acordo com a indústria de alimentos que perdurou de 2011 até 2022. O acordo estabeleceu como meta a retirada de 28,5 mil toneladas de sódio dos produtos alimentícios.

Nós, da Congelados da Sônia, sempre estivemos focados em saúde, sendo assim, já tínhamos como uma de nossas diretrizes a utilização do mínimo de sal nos alimentos. Como fornecemos alimentos para grandes redes de hospitais, isso se torna ainda mais necessário.

Para diminuir o sódio, usamos alguns artifícios, como preparar nossos produtos utilizando um mix de sal light e sal marinho, considerando que:

O sal light tem menor concentração de sódio em sua composição, por ser uma mistura de 50% de cloreto de potássio e 50% de cloreto de sódio. Ele diminui o sódio, porém aumenta a quantidade de potássio ingerido, que não é recomendado para doentes renais, já que pode sobrecarregar os rins.

O sal refinado passa por um longo processo químico de aquecimento e refinamento, que faz com que ele perca quase todo o seu valor nutricional.

Já o marinho, não passa pelo processo de refinamento, o que faz com que mantenha os minerais e nutrientes, e dispense a adição de outros ingredientes químicos. Além disso, o sal marinho é mais saudável por conter menos sódio.

Não esquecendo que o consumo excessivo de sal, seja ele light ou marinho, pode causar problemas como hipertensão, doenças cardiovasculares e cálculo renal. Assim, buscamos outro artifício, a utilização de temperos naturais, uma vez que estes não trazem danos à saúde e podem gerar inúmeros benefícios.

Entre os muitos temperos utilizados temos: orégano, páprica doce e picante, endro dill, tomilho, alecrim, cebola, alho, alho-poró, salsa, louro, manjericão, gengibre, açafrão e outros. Todos esses temperos conferem muito sabor aos alimentos e muitas vezes esse sabor é confundido com excesso de sal, quando, na verdade, são mixes de especiarias, elaborados por nossos chefs, que realçam o sabor dos pratos, tendo cada prato o seu próprio mix.

Caso você queira utilizar esse artifício em sua casa, sugerimos preparar o sal de ervas. A baixa concentração de sódio e o uso de ervas aromáticas e medicinais, tornam o sal de ervas muito saudável, podendo ser usado por todos, inclusive para quem sofre de pressão alta.

O uso de plantas medicinas, se feito corretamente, gera benefícios para o organismo. No caso dos ingredientes que compõem o sal de ervas, que sugerimos abaixo, como o alecrim, que é estimulante, favorece a memória, o coração, os nervos, combate o estresse e a ansiedade.

O manjericão possui flavonoides, que protegem as estruturas celulares contra os efeitos de radicais livres. Ele também é anti-inflamatório, estimulante digestivo, calmante, previne problemas digestivos e infecções no intestino.

O orégano, por sua vez, tem alta atividade antioxidante, porque contém ácido fenólico e flavonoides, além de propriedades antimicrobianas, o que faz com que seja bom para preservar os alimentos.

A mistura de alecrim, manjericão, orégano e sal marinho, torna o sal de ervas mais saboroso e saudável que o sal comum.

Como fazer o sal de ervas?

Ingredientes:

  • 20 gramas de alecrim desidratado
  • 20 gramas de manjericão
  • 20 gramas de orégano
  • 20 gramas de sal marinho

Preparo:

Coloque os ingredientes no liquidificador e bata. Depois guarde em uma embalagem de vidro com tampa.

Lembre-se! Para prevenir ou controlar a hipertensão, além de utilizar artifícios para utilizar o mínimo de sal no preparo dos alimentos, evite: alimentos embutidos (salsicha, salame, presunto, linguiça e hambúrguer), molhos (ketchup, mostarda, maionese, etc.), carnes salgadas (bacalhau, charque, carne seca e defumados), alimentos gordurosos, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e o hábito de fumar.

Procure um estilo de vida saudável, consuma diariamente frutas, legumes e hortaliças, pratique atividade física regularmente com orientação de um profissional, durma bem e evite situações de estresse.

Nutricionista Alba Aragão

Especialização em Gestão da Segurança Alimentar na Cadeia Produtiva de Alimentos e Bebidas

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta