Conheça os benefícios de comer frutas, verduras e legumes da estação

Em nosso país tropical, devido ao solo e ao clima, temos uma grande variedade de alimentos, o que nos oferece uma gama de opções para investir em um cardápio farto e nutritivo.

No entanto, cada fruta, verdura e legume se desenvolvem melhor em determinada época do ano, por isso é tão comum ouvirmos o termo “fruta da estação” ao fazermos a feira da semana.

Por que é melhor consumir os alimentos da estação?

Os alimentos da estação têm como principal qualidade o fato de serem mais frescos e nutritivos em comparação com os outros.

Quando são cultivados em seu período natural, esses produtos captam melhor os nutrientes do solo e precisam de menos produtos que aceleram o crescimento e, além de contaminar, alteram a qualidade da fruta, verdura ou legume.

Muitos agricultores lançam mão de uma grande quantidade de agrotóxicos, pesticidas e fertilizantes para acelerar o amadurecimento. Já os da estação, muitas vezes, dispensam esse volume de compostos químicos, o que garante uma alimentação mais natural e, consequentemente, mais saudável. Por isso, os alimentos da estação são sempre mais saborosos, fresquinhos e nutritivos.

As frutas, principalmente, possuem um tempo de amadurecimento bem regrado – que é muito mais respeitado quando os produtores plantam e colhem nos meses corretos. Até mesmo a aparência delas fica diferente quando estão saudáveis e com pouco uso de agrotóxicos.

Sendo assim, sempre que estiver em busca de produtos naturais com sabores bem concentrados e frescos, olhe a tabela de sazonalidade para conferir aqueles que estarão mais gostosos.

Frutas, verduras e legumes ficam com maior concentração de vitaminas e minerais porque crescem nas melhores condições para o seu desenvolvimento.

Assim, são usados poucos ou nenhum tipo de agrotóxico para que eles amadureçam. Consequentemente, esses alimentos chegam nas prateleiras tendo completado seu ciclo natural, atendendo ao seu tempo “biológico” e evitando procedimentos artificiais.

Por outro lado, quando se força o amadurecimento, e com tantas interferências que o plantio e cultivo de vegetais fora de época sofrem, é natural que o sabor deles também seja afetado.

Esses alimentos costumam ser cultivados em estufas e isso, juntamente com o uso de agrotóxicos, reduz o valor nutricional desses produtos, deixando os sabores mais fracos.

Além disso, o uso de agrotóxicos e compostos químicos pode ser relativamente maior em colheitas não sazonais (fora da época), podendo contaminar os lençóis freáticos e o solo da região.

Além de apostar nas frutas da estação, privilegie, sempre que possível, aquelas produções orgânicas compradas nas feiras que, por não terem aditivos químicos, são muito mais saudáveis e gostosas.

As diferenças desses produtos são sentidas de todas as formas, como no visual, no cheiro e, claro, principalmente no sabor mais natural.

Mas, antes de mais nada, precisamos entender o que são alimentos orgânicos. De modo geral, são aqueles que crescem sem a utilização de produtos químicos ou qualquer tipo de hormônio durante seu desenvolvimento.

Isso significa que as frutas, verduras e legumes da estação ganham uma vantagem quando se trata de crescimento natural.

Por isso, um dos fatores mais observados pelos produtores orgânicos e locais é a sazonalidade de frutas, verduras e legumes. Afinal, elas são fáceis de cultivar, rendem boas safras, são gostosas e vendem bem.

Então, para valorizar esse trabalho, que tal procurar por esses tipos de produtos? Você vai estar fomentando o comércio local, ajudando o planeta, economizando e, de bônus, levando para casa itens super fresquinhos e cheios de sabor!

Além disso, consumir alimentos da estação também faz bem para o seu bolso. Como esses produtos sazonais seguem padrões climáticos, isso significa que em algumas épocas do ano teremos abundância de uns e escassez de outros.

É justamente por isso que percebemos nos mercados e nas feiras maior oferta de um determinado produto. E já que os produtores possuem mais estoque do que o normal das frutas e legumes da estação, o preço diminui para que eles vendam tudo, evitando desperdícios e prejuízos. É a clássica lei da oferta e demanda em ação.

As frutas, legumes e verduras da estação têm um melhor preço para o consumidor final por dois motivos: primeiro porque há uma maior oferta, já que se trata da época em que o alimento se desenvolve melhor.

O segundo motivo é que costumam ser cultivados a menores distâncias dos locais onde são vendidos, o que possibilita aos consumidores adquirirem produtos mais frescos.

Isso é algo favorável também porque contribui para a economia local, economiza em combustíveis, há uma menor emissão de gases e diminui o desperdício de alimentos durante o transporte.

O uso desses produtos agrotóxicos é ainda prejudicial para o meio ambiente, uma vez que contaminam o solo, o ar e os lençóis freáticos.

Outro fator que encarece os produtos fora da estação, além do uso de métodos artificiais para o seu cultivo e amadurecimento, é o custeio do transporte.

Muitos acabam sendo importados de outras regiões ou vindos de ambientes climatizados e esses valores vão sendo agregados ao preço do produto final, que acaba pesando mais no bolso do consumidor.

Sem contar que, durante a sua safra, estes alimentos ficam mais baratos, já que a oferta é bem grande. Além de fazer bem ao corpo, comprar itens da estação é muito bom para o bolso.

Em um período pandêmico como o que vivemos e que elevou muito o preço da comida, investir na compra de alimentos da época gera uma grande economia.

Os alimentos de cada estação para incluir no seu cardápio

Confira quais os produtos naturais de cada época do ano para compor refeições variadas nutricionalmente e muito mais saudáveis:

Primavera

  • Abóbora;
  • Abobrinha;
  • Alcachofra;
  • Berinjela;
  • Beterraba;
  • Cenoura;
  • Chuchu;
  • Couve-flor;
  • Ervilha;
  • Mandioquinha;
  • Nabo;
  • Vagem;
  • Alface;
  • Almeirão;
  • Chicória (escarola);
  • Repolho;
  • Banana;
  • Caju;
  • Laranja;
  • Melão;
  • Morango;
  • Pêssego.

Verão

  • Abóbora;
  • Abobrinha;
  • Agrião;
  • Alcachofra;
  • Alho;
  • Batata-doce;
  • Berinjela;
  • Cenoura;
  • Chicória (escarola);
  • Chuchu;
  • Jiló;
  • Mandioca;
  • Milho verde;
  • Moyashi (broto de feijão);
  • Nabo;
  • Pimentão;
  • Quiabo;
  • Rabanete;
  • Repolho;
  • Abacaxi;
  • Abacate;
  • Ameixa;
  • Banana;
  • Caju;
  • Coco;
  • Figo;
  • Goiaba;
  • Jaca;
  • Laranja;
  • Limão;
  • Maçã;
  • Manga;
  • Maracujá;
  • Melancia;
  • Melão;
  • Pera;
  • Uva.

Outono

  • Abobrinha;
  • Acelga;
  • Alface;
  • Almeirão;
  • Agrião;
  • Broto de bambu;
  • Couve chinesa;
  • Repolho;
  • Rúcula;
  • Batata-doce;
  • Berinjela;
  • Brócolis;
  • Chuchu;
  • Jiló;
  • Inhame;
  • Mandioca;
  • Nabo;
  • Pimentão;
  • Quiabo;
  • Rabanete;
  • Tomate;
  • Vagem;
  • Repolho;
  • Abacate;
  • Banana-prata;
  • Caqui;
  • Coco;
  • Goiaba;
  • Jaca;
  • Laranja;
  • Limão;
  • Linhaça;
  • Maçã;
  • Maracujá;
  • Melancia;
  • Pera;
  • Tangerina;
  • Uva Niágara.

Inverno

  • Abóbora;
  • Abobrinha;
  • Batata-doce;
  • Berinjela;
  • Brócolis;
  • Cará;
  • Cenoura;
  • Couve-flor;
  • Ervilha;
  • Inhame;
  • Mandioca;
  • Mandioquinha;
  • Nabo;
  • Acelga;
  • Alface;
  • Chicória (escarola);
  • Couve;
  • Espinafre;
  • Mostarda;
  • Repolho;
  • Banana;
  • Laranja;
  • Limão;
  • Mamão;
  • Melão;
  • Morango;
  • Pera;
  • Pinhão;
  • Tangerina.

Nutricionista Daniela Rezende

Nutricionista Daniela Rezende
Pos Graduada em Nutrição Clínica / Pós Graduada em Gastronomia e Nutrição / Especializada em Nutrição comportamental e Emagrecimento Saudável!

 

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta