Reeducação alimentar: quais as substituições mais indicadas?

O planejamento é importante em vários aspectos da nossa vida, inclusive na alimentação. A reeducação alimentar está muito ligada a essa ideia, pois quando falamos em “reeducação” estamos voltados a um propósito de reaprendizado e de recomeço.

Perceber que a alimentação precisa de mudanças leva a um reaprendizado de como se alimentar e isso demanda um planejamento para garantir que haja a entrada de nutrientes importantes, mantendo sua qualidade de vida e garantindo o bem-estar físico e mental.

Você já parou para se perguntar o que é uma alimentação saudável?

Pode-se resumir em uma alimentação adequada que promova a saúde, privilegiando todos os grupos de alimentos e em quantidades adequadas às necessidades individuais de cada pessoa, com fontes de boa qualidade nutricional.

E isso quer dizer que é importante a entrada de cereais, leguminosas, frutas, legumes, verduras, carnes, ovos ou leite. No caso de vegetarianos, que não consomem proteína animal, há a necessidade de compensação com proteínas de origem vegetal.

Por isso, a reeducação alimentar nada tem a ver com dietas restritivas que te deixam horas sem se alimentar ou colocam os alimentos como proibidos ou permitidos. É uma forma de olhar diferente para os seus hábitos de vida em busca de melhorá-los.

Para começar, é importante o acompanhamento de um nutricionista com o objetivo de estabelecer os horários e os tipos de alimentos que serão importantes para cada pessoa. Como cada um é único, suas necessidades também são únicas.

A partir da orientação profissional, haverá um planejamento de horários mais adequados de acordo com a sua rotina. Nesta etapa, entrará também muita organização para que essa mudança fique por mais de uma semana e se torne um hábito para a vida.

Tudo que puder facilitar nesse início pode ser um grande aliado: ter alguns alimentos prontos, congelados, pode ser fundamental para quem trabalha o dia inteiro, por exemplo.

Tirar um dia da semana para higienizar os vegetais e deixá-los acondicionados de forma adequada na geladeira, também.

Feito isso, vamos pensar em algumas pequenas mudanças nesse processo que já serão um ótimo começo para quem quer seguir uma alimentação mais saudável. Troque:

Farinha branca pela farinha integral

Os alimentos integrais possuem mais fibras e nutrientes, como vitaminas e minerais, auxiliam o intestino a funcionar melhor, ajudam na limpeza de toxinas do nosso corpo e dão mais saciedade, evitando que você fique procurando o que beliscar. Prefira, então, pães, biscoitos e massas que utilizem a farinha integral.

Molhos enlatados por molhos naturais

Redescubra o sabor natural dos alimentos, sem realçadores de sabor, conservantes e outros produtos químicos que irão desregular o seu corpo. Para isso, utilize tomate, cebola, pimentão, alho e temperos para conseguir um molho saboroso e saudável.

Caldos em cubos por temperos naturais

Esses quadradinhos são cheios de produtos químicos e gordura hidrogenada. Não há a menor necessidade da utilização deles se você colocar na sua comida temperos naturais: louro, cominho, coentro, salsinha, manjericão, páprica, são alguns temperos baratos que podem ser encontrados em qualquer lugar.

Bebidas açucaradas por sucos naturais

Refrigerantes possuem uma grande quantidade de açúcar refinado, substâncias químicas e gás que mexem com seu metabolismo, aumentam as chances de ganho de peso (e de doenças como diabetes) e ainda atrapalham a absorção dos nutrientes saudáveis da comida.

Os sucos de caixinha do tipo néctar são muito parecidos, sendo uma mistura de água e açúcar que não é saudável. Prefira beber muita água e, no momento em que sentir necessidade de um sabor doce, será muito melhor optar por suco natural.

Substitua molhos gordurosos por preparações com menos gordura

Manteiga, maionese e molhos à base de creme de leite podem ser substituídos pela utilização de iogurte natural, queijo cottage, ricota ou pastinhas feitas com cenoura, inhame ou biomassa de banana verde. Os temperos naturais aqui também podem trazer grandes diferenças no sabor.

Troque alimentos fritos por assados ou cozidos

A batata não é a vilã, pelo contrário, é um alimento maravilhoso, rico em energia e que pode substituir o arroz. Por isso, utilize-a assada ou cozida. O problema é fritá-la porque a soma do amido do alimento com o excesso de gordura cria uma combinação perigosa para a saúde.

A mesma coisa se aplica a carnes, frango e peixe, em que a mudança no preparo muda completamente o perfil da sua alimentação.

Doces industrializados por frutas e doces caseiros

Ninguém está proibido de comer açúcar, mas é necessário que frutas estejam presentes todos os dias na nossa alimentação.

Quando a alimentação está adequada, a vontade de comer doces aparece só de vez em quando e nesses momentos não há problema em comer um doce feito com frutas e mel, açúcar mascavo, açúcar de coco ou adoçantes naturais como o xilitol, por exemplo.

Achocolatados por cacau em pó

Se você sente grande diferença nessa mudança é porque gosta do sabor do açúcar e não do chocolate. Os achocolatados possuem grandes quantidades de açúcar, atrapalhando todo o nosso corpo.

Já o cacau em pó possui sabor forte, diminuindo a quantidade a ser utilizada, e é rico em antioxidantes que melhoram principalmente a nossa pele e aumentam a disposição.

Barra de cereal por mix de nuts

Essas barrinhas podem ser riquíssimas em açúcar. É muito melhor você carregar um punhado de castanhas, amêndoas, avelãs e nozes para comer em um lanchinho ou utilizar as oleaginosas em preparações para aumentar a mastigação, o que ajuda a estimular a saciedade.

Começando por essas dicas, em poucos dias você perceberá mais disposição, sono melhor, pele mais bonita e intestino funcionando como um reloginho. E isso será só o começo do que uma reeducação alimentar pode fazer pela sua saúde.

Luciana Novaes

Nutricionista Luciana Novaes
Mestre em Saúde Pública
Especializada em Gestantes e Vegetarianos

Telefone: 3500-7676
Whatsapp 97677-5190

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta