Qual a importância da alimentação saudável na infância e adolescência?

Uma das sensações mais gratificantes para os pais é ver que os seus filhos estão bem alimentados, especialmente quando a refeição é saudável. Afinal, todos sabemos que um aporte correto de nutrientes nessa fase é importante para o desenvolvimento dos pequenos.

Mas, na prática, não é tão simples estimular o hábito de se alimentar de forma saudável. Isso porque vários fatores influenciam nessa questão, como a situação socioeconômica da família e seus hábitos culturais, a rotina corrida nos grandes centros e também a própria seletividade das crianças e adolescentes em relação a alguns tipos de alimentos.

Entretanto, precisamos falar mais sobre a importância da alimentação saudável na infância por conta do alto fator de risco para o surgimento de doenças nos dois extremos: as famílias que sofrem com o déficit de alimentos, com crianças muito abaixo do peso ideal, e também as que convivem com a obesidade infantil.

Alimentação saudável deve ser uma prioridade desde cedo

Tanto a infância quanto a adolescência são fases em que o desenvolvimento é constante. Por isso, as refeições têm um papel bastante relevante para o crescimento saudável e devem garantir que as crianças e jovens tenham acesso a todos os nutrientes que necessitam.

Mas, para isso é preciso entender como funciona a chamada “educação alimentar. O paladar da criança começa a ser formado na introdução de alimentos, que começa normalmente aos 6 meses de vida.

Até os dois anos de idade, os pais têm uma “janela” importante para que a criança tenha contato com nutrientes fundamentais para o seu crescimento, evitando ao máximo a inclusão de alimentos industrializados, com muito sódio e açúcar.

E, após essa idade, a continuidade da educação alimentar é fundamental para prevenir a seletividade infantil – quando a criança passa a negar a maioria dos alimentos e têm uma lista restrita de “favoritos” com tendência para os processados – e prevenir problemas como anemia, hipertensão, diabetes, colesterol alterado, obesidade, etc.

Por isso, uma recomendação universal é priorizar a oferta de refeições saudáveis nesta fase, priorizando os alimentos in natura e evitando os industrializados. Consequentemente, a rotina alimentar de crianças e adolescentes deve abranger os principais grupos, como carboidratos, proteínas, legumes, verduras, frutas, cereais, leguminosas, etc.

Mas, quais são os nutrientes essenciais na alimentação infantil?

Uma premissa que a maioria das pessoas conhecem sobre alimentação saudável é que precisamos priorizar uma refeição variada, balanceada e colorida. Não é diferente quando falamos de alimentação infantil, mas vamos destacar o papel de alguns nutrientes específicos nessa fase.

  • Carboidratos: importante fonte de energia e presentes em cereais, pães e tubérculos;
  • Proteínas: ajudam a fortalecer músculos, formar hormônios e contribuem para as defesas do organismo. Carnes, ovos e leguminosas são fontes importantes;
  • Ferro: fundamental para aumentar a imunidade e prevenir a anemia ferropriva, que prejudica o processo de aprendizagem na infância e adolescência. Está presente em carnes, vegetais de cor verde-escura e leguminosas;
  • Zinco: também fortalece a imunidade e contribui para o desenvolvimento cerebral. É encontrado no feijão, leite integral e oleaginosas;
  • Cálcio: conhecido pelo seu papel no crescimento e na saúde dos ossos e dentes, também é importante no controle da pressão arterial. Está presente no leite e seus derivados, espinafre e demais vegetais verde escuros, nas sementes, como abóbora, girassol e gergelim;
  • Ômega 3: excelente para a visão, concentração e raciocínio lógico. É um nutriente encontrado em peixes, linhaça e chia;
  • Vitamina C: tem um papel importante para a imunidade e auxilia na absorção do ferro. Presente em algumas frutas, como laranja, abacaxi, acerola, morango e goiaba, além de verduras e legumes, como couve e brócolis;
  • Vitamina D: auxilia diretamente no crescimento e na fixação do cálcio nos ossos. Está presente em peixes, cogumelos e leites e derivados, além do banho de sol;
  • Vitamina A: importante para a saúde dos olhos, imunidade e renovação celular. O nutriente é encontrado especialmente nos alimentos de origem animal (leite, ovos, fígado) e de origem vegetal (frutas e vegetais de cor amarelo-alaranjadas).

Quando a rotina da criança e/ou adolescente não tem um aporte satisfatório de todos esses nutrientes, as deficiências podem surgir e desencadear falta de energia para brincar e estudar, além de anemia, problemas no crescimento, verminoses e alergias alimentares.

Como estimular que a criança se alimente melhor?

O primeiro passo é dar o exemplo. As principais refeições são feitas normalmente em casa e na escola. Então, a família deve priorizar escolhas saudáveis no lar e evitar encher a despensa de opções industrializadas.

Preparamos algumas dicas que podem ajudar:

  • Não negocie recompensas na hora da refeição. Um prato saudável não deve ser encarado como um “castigo” e os pais devem evitar oferecer sobremesa como moeda de troca;
  • Não desista de oferecer algum tipo de alimento específico só porque a criança negou uma vez. Cada dia é único, então persista;
  • Faça das refeições em família, na mesa, uma parte obrigatória da rotina;
  • Ofereça alimentos de diferentes formas, como mesclar legumes in natura e cozidos, frutas cortadas em formatos diferentes ou grelhadas, etc;
  • Evite “esconder” os alimentos misturando a comida, pois é importante que a criança saiba diferenciar o sabor e textura de cada item;
  • Não cobre se a criança não comer “tudo”. O respeito à saciedade também faz parte da educação alimentar;
  • Ter horários para comer é fundamental para evitar que os “beliscos” influenciem o apetite no momento das refeições principais.

Dica bônus: facilite a sua rotina com as refeições congeladas

Como apontado no início do artigo, sabemos que a rotina atribulada costuma ser um motivo para muitas famílias apelarem para o fast food, por exemplo. Afinal, a falta de tempo para fazer compras e preparar as refeições diariamente é quase uma regra atualmente.

Uma decisão que pode ajudar muito e transformar a relação da criança e do adolescente com a alimentação saudável é investir nas refeições congeladas. Além de serem mais práticas – basta utilizar o micro-ondas para esquentar – fica mais fácil garantir que toda a família se alimente de forma nutritiva e ainda com variedade.

Uma das empresas especializadas nestes pacotes é a Congelados da Sônia, que oferece opções diversas de refeições congeladas, incluindo um Kit Juvenil e Infantil, que tem 10 pratos que prometem agradar em cheio o paladar de crianças e adolescentes.

Conheça 5 pratos do Kit Juvenil e Infantil da Congelados da Sônia:

1. Feijão Azuki com Arroz e Frango Grelhado

Feijão azuki cozido com abóbora, cheiro verde e cominho. Acompanha arroz integral e bifinhos de peito de frango grelhado.

2. Espaguete com Almôndegas

Tenras almôndegas de carne ao molho sugo com pedaços de tomate, espaguete “grano duro” refogado no alho.

3. St Peter Empanado e Arroz à La Grega

Nosso St Peter Empanado e Arroz à La Grega acompanha arroz branco enriquecido com cenoura, ervilha, pimentão amarelo e uva-passa branca.

4. Feijoada Light

Cremoso feijão preto num tempero caseiro com carne seca e carne fresca desengorduradas. Guarnições: arroz soltinho e couve mineira fininha refogada.

5. Bolo de Batata

Carne moída, com cenoura, espinafre e azeitonas, cobertas com purê de batatas salpicado de parmesão.

Para ver mais opções de refeições para crianças e adolescentes da Congelados da Sônia, clique aqui.

Nutricionista Gabriela Marcelino

Gabriela Marcelino
Nutricionista responsável técnica na Congelados da Sônia LTDA. Graduada pelo Instituto Metodista Bennett, mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos pelo Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), especialista em Gestão da Segurança de alimentos na cadeia produtiva de alimentos e bebidas pelo Instituto Senai de Educação Superior, Técnica com formação especial em processamento de frutas e hortaliças pelo antigo Centro Nacional de tecnologia de produtos alimentares/Senai

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta