Ovo, o queridinho!





O ovo é um dos alimentos mais perfeitos e completos que existem, pois é rico em nutrientes essenciais à saúde. Ele é uma excelente fonte de proteína de alto valor biológico (fornecendo todos os aminoácidos essenciais), vitaminas (riboflavina,vitamina E, vitamina B6, vitamina A, ácido fólico, colina, vitamina K, vitamina D e vitamina B12), minerais (zinco, cálcio, selênio, fósforo e ferro), ômega-3 e compostos ativos (luteína ezeaxantina).

Já foi considerado um inimigo da nossa saúde por um longo período, por causa do aumento dos níveis de colesterol no organismo, contudo, várias pesquisas mais recentes vem mostrando que ele é o novo queridinho para quem mantém uma alimentação saudável. Esse novo título de queridinho se deve ao seu valor nutritivo, principalmente para pessoas que praticam musculação e outras atividades físicas (auxiliando na construção de massa muscular). E, hoje já sabemos que a gema não deve ser descartada, pois também tem valor nutricional!

O ovo traz vários benefícios para saúde, além de auxiliar no ganho de massa muscular como citei acima, ele ajuda no controle e combate do envelhecimento celular, redução da incidência de doenças, tais como:

– Prevenção e tratamento do Parkinson, Alzheimer e Doença senil (pois com a cisteína que é um poderoso antioxidante e com a PQQ (pirrolo, quinonina, quinona) – essas patologias tem sua produção diminuída);

– Osteoporose (a casca do ovo contém carbonato de cálcio que aumenta a densidade mineral);

– Ajuda no crescimento e fortalecimento de cabelos e unhas (pela sua alta taxa de enxofre e variedade de vitaminas e minerais);

– Previne as doenças cardiovasculares – AVC e ataques cardíacos, coágulos ( elevando o HDL e impedindo que o colesterol se deposite nas artérias; participa da formação da bile, mobilizando triglicerídeos e diminuindo a formação de colesterol);

– Gestação e desenvolvimento dos bebês – a colina, auxilia na formação do sistema nervoso central do bebê. Em duas unidades, temos aproximadamente 250mg de colina, o que equivale a metade das necessidades que uma gestante ou lactante precisa. Além disso, ele fornece vitaminas do complexo B e ácido fólico, que são essenciais para o desenvolvimento do tubo neural do feto.

– Dermatites e Alopecia – a biotina é muito usada nos tratamentos de pele e está presente em várias formulações para melhora da alopecia (queda de cabelo).

Além dos inúmeros benéficios citados para prevenir e tratar doenças/patologias, o ovo também tem sido bastante indicado para o controle e/ou perda de peso, podendo ser utilizado em dietas (substituição às carnes ou outros alimentos altamente calóricos), reduzindo a ingestão de gorduras e ajudando a emagrecer.  Mais estudos sobre esse assunto fazem-se necessários, afim de compreendermos melhor os mecanismos fisiológicos dos nutrientes presentes no ovo, que é um alimento extremamente barato, e acessível à toda população.

Por fim, com todo esse terrorismo nutricional que foi criado em torno do consumo de ovo, aprendemos que o que devemos fazer é sempre pregar o equilíbrio, pois não há alimentos bons ou ruins para a saúde. Todo esse excesso de reportagens e informações, faz com que a população fique cada vez mais confusa em relação ao que comer. O ovo pode sim ser consumido todos os dias, a menos que você tenha alergia ou algum tipo de intolerância.

 

Referências Bibliográficas:

ALEXANDER D.D et al. Meta-analysis of Egg Consumption and Risk of Coronary Heart Disease and Stroke. J Am Coll Nutr; 35(8):704-716, 2016.

Applegate E (2000). Introduction: nutritional and functional roles of eggs in the diet.J. Am. Coll.Coll. Nutr. 19(5):495S-498S.

BLACKSTOCK, K. Predictability of respiratory atopy from egg hypersensitivity in children. In: WATSON, R. R. (Ed.) Eggs and health promotion. Iowa: Iowa State Press. 2002. cap 16. p. 171-176

Campbell MK (2000). Bioquímica. 3. ed. Ed.3. ed. Ed. Artmed, Porto Alegre, RS, 752 pp.

GEIKER N.R.W et al. [Eggs do not increase the risk of cardiovascular disease and can be safely consumed]. Ugeskr Laeger; 15;179(20), 2017.

LIU M et al. Microfluidic Assessment ofFrying Oil Degradation. Sci Rep; 6:27970, 2016.

WU JH et al. Contribution of Trans-Fatty Acid Intake to Coronary Heart Disease Burden in Australia: A Modelling Study. Nutrients; 18;9(1), 2017

ZEISEL S. Choline, Other Methyl-Donors and Epigenetics. Nutrients; 29;9(5), 2017

 

Silvania Faria
Pós-Graduada em Personal Dietitian em Clínica,
Esporte e Fitoterapia
Nutricionista na Clínica Dermatológica Aline Tânus
Nutricionista no Estúdio Qualivida – Flamengo
Nutricionista na Optum
Consultora em Embarcações
www.nutrindo-se.com.br
(21) 98035-1423


Deixe uma resposta