O que você precisa saber sobre rótulos dos alimentos

Produtos no supermercado
Vai ao supermercado? Olhe o rótulo de cada produto antes de comprar!

Você sabia que nem todo produto “light”, “saudável” e “caseiro” é tudo isso de verdade? Muitos alimentos industrializados levam o nome de light ou fit apenas como forma de marketing, sem de fato ter uma preocupação com a composição nutricional do que está dentro da embalagem. Aliás, é justamente nos rótulos dos alimentos que está sua melhor arma para saber se está comendo algo realmente saudável.

Antes de comprar qualquer produto, é preciso ler atentamente o rótulo e isso pode ser um grande desafio, porque a maneira como as informações aparecem nas embalagens não é tão clara e fácil de entender. Mas isso já está mudando. Mas a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), responsável por determinar o que precisa ter nos rótulos dos alimentos no Brasil, já está promovendo melhorias na nossa rotulagem.

Em junho do ano passado, o órgão aprovou a inclusão obrigatória de informações para alérgicos nos rótulos dos principais alimentos e bebidas que causam alergias alimentares. Acaba em junho deste ano o prazo para os fabricantes adequarem as embalagens. Além disso, a Anvisa está estudando um modelo de rotulagem nutricional simplificada em um grupo de trabalho sobre o assunto.

Por rótulos de alimentos mais verdadeiros

Uma das participantes desta equipe é a jornalista Francine Lima, especializada em alimentação pelo Programa de Nutrição em Saúde Pública da USP e criadora do projeto Do Campo à Mesa, sobre alimentação e consumo. Sua tese de mestrado foi justamente sobre a comunicação em rótulos de alimentos e em seu site há vários textos e vídeos sobre análise de rótulos.

Em um desses vídeos, Francine fala sobre os rótulos de alimentos em diversos países e conta que nutricionistas e defensores dos direitos do consumidor acreditam que o rótulo deve informar não só excesso de açúcar, gordura e sódio, mas também o excesso de processamento industrial, a presença de aditivos, o uso de adoçante artificial. “O importante é que o consumidor consiga comparar produtos e identificar rapidamente o que é comida e o que é imitação de comida que não faz bem para ninguém”, diz a especialista.

 

Além de Francine, outras pessoas também estão se mobilizando para mostrar que nem sempre os rótulos dos alimentos dizem a verdade. É o caso do Projeto eu caí na real, criado pela advogada Odilma Costa, que superou a obesidade com reeducação alimentar e exercícios físicos e compartilha dicas de médicos e nutricionistas nas redes sociais. Em sua página no Facebook, ela fez a série “Será que é 100% saudável como dizem?”, sobre produtos que parecem benéficos para a saúde, mas não são.

Quer saber como ler os rótulos dos alimentos? Nós contamos tudo o que você precisa saber neste post do blog da Congelados da Sônia, é só clicar! Outro material interessante é o guia “Você sabe o que está comendo?”, da Anvisa, disponível aqui.

Leia também: Põe no rótulo: o desafio de descobrir os ingredientes do que comemos

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta