Hormônios da “felicidade”: quais são e como podemos estimulá-los?

Que tal aprendermos um pouco mais sobre os hormônios “da felicidade”? Os quatro principais hormônios que compõem a química do bem-estar são dopamina, ocitocina, serotonina e endorfina.

O nosso organismo não produz nenhum hormônio da “infelicidade”. Isso significa que, quando estamos infelizes, na verdade estamos vivendo a falta desses hormônios.

Então, para mudar esse estado emocional, podemos agir para estimular a produção desses neurotransmissores que são responsáveis pela nossa “química da felicidade”.

Conheça um pouco mais sobre os hormônios essenciais para o nosso bem-estar:

  • Dopamina

Conhecida como o “hormônio do prazer”, a dopamina é produzida quando realizamos algum hobby, ao ouvir músicas que gostamos e na prática de exercícios físicos.

Este hormônio está ligado à nossa motivação, nos ajudando a perseguir nossos objetivos e sermos “recompensados” com a sensação de bem-estar que ela nos causa. Além disso, a dopamina é fundamental na prevenção da depressão e de doenças como o Parkinson.

Como estimular a produção de dopamina?
Procure dormir entre sete a nove horas por dia, praticar atividade física, fazer ioga e celebrar conquistas diárias, mesmo as pequenas.

Na alimentação, é interessante aumentar o consumo do aminoácido tirosina, presente em ovos, peixes, carnes, nozes, abacate, feijões e ervilhas.

  • Serotonina

A serotonina, conhecida como o hormônio do bem-estar ou do humor, é responsável por regular funções importantes do nosso corpo, como apetite, sono, temperatura, ritmo cardíaco, movimentos intestinais, habilidades motoras, saúde óssea, processo digestivo, coagulação sanguínea, função sexual e funções relacionadas às emoções e ao humor.

A baixa concentração de serotonina pode desencadear ansiedade, depressão, mau humor, dificuldades para dormir, irritabilidade, diminuição da libido, sonolência, aumento da vontade de comer doces, falta de memória e dificuldade de concentração.

Como estimular a produção de serotonina?
Para produzir serotonina, nosso corpo precisa de um aminoácido chamado triptofano, encontrado em alimentos como banana, abacaxi, tomate, carnes magras, cereais integrais, castanha do Pará, chocolate amargo, leite e seus derivados.

Em casos severos, existe até a possibilidade de suplementação deste aminoácido.

  • Ocitocina

A ocitocina é conhecida como o “hormônio do amor”, pois é liberada quando damos um abraço, um beijo e recebemos carinho. Ele nos ajuda nas relações sociais e no controle da pressão arterial.

Como estimular a produção de ocitocina?
Praticar atividades físicas moderadas, ser generoso, executar ações de caridade e dar e receber presentes estimulam a produção deste hormônio.

Para manter os níveis de ocitocina adequados, procure meditar, abraçar e se cercar de carinho.

  • Endorfina

Hormônio ligado à alegria e ao bem estar, a endorfina é considerada uma espécie de analgésico natural, pois sua estrutura química se assemelha à da morfina.

Este hormônio auxilia na melhora da nossa tolerância a dores musculares.

Como estimular a produção de endorfina?

A endorfina pode ser liberada durante a pratica de atividades físicas, ao dançar, meditar, rir, fazer sexo e na ingestão de alimentos picantes.

Para ativar a endorfina, procure ingerir pimentas como malagueta, caiena e dedo de moça que são ricas em capsaicina.

É muito importante ficar atento para que os níveis destes quatro hormônios estejam adequados, pois assim, é possível sentir os efeitos benéficos da “felicidade” que eles nos proporcionam.

Muitos desequilíbrios hormonais podem ser tratados adotando um estilo de vida mais saudável, reduzindo assim a necessidade de ingestão de remédios no futuro.

Por isso, alimente-se bem e viva melhor!

Maria Clara Pinheiro

Nutricionista / Doutora em Ciências

CRN 08.101.57-9

Tel: 21-99431-5007

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta