logoblog

Feijoada light: a união entre saúde e sabor

A feijoada é um dos pratos típicos brasileiro mais conhecidos e populares. Teve origem no conhecido feijão “gordo”, o feijão acrescido de carnes e hortaliças. Mas há quem a apontasse como um prato de invenção dos africanos escravizados, que juntavam ao feijão os restos de carnes.

Foi criada no século XIX, e servida em restaurantes da elite escravocrata, principalmente no Rio de Janeiro. E há sempre questionamentos a respeito do prato ser carioca ou não. Associada ao samba, festividades religiosas e a opções mais baratas. A feijoada faz parte da mesa de todas as classes sociais.

Feijoada tradicional e suas implicações na saúde

No entanto, é importante destacar que a feijoada tradicional contém uma variedade de alimentos classificados como embutidos, como paio, bacon, costela de porco, carne seca, orelha de porco, rabo de porco e pé de porco, que podem ser ricos em gordura saturada, colesterol e sódio.

Por exemplo, uma porção de 370g de feijoada tradicional pode conter até 3911mg de sódio e 42,5g de gordura total.
Alternativas mais saudáveis da feijoada

Felizmente, existem alternativas mais saudáveis e saborosas para a feijoada, como as versões light e vegetariana. A feijoada light, por exemplo, utiliza coxão duro, uma carne mais magra, e temperos naturais com propriedades anti-inflamatórias, como páprica, alho poro, sal light e tomilho. Isso permite que uma porção de 340g da feijoada light contenha apenas 711mg de sódio e 13g de gordura total, incluindo 2,9g de gordura saturada.

Já a feijoada vegetariana é feita com feijão branco e hortaliças como abóbora japonesa, palmito, mandioquinha, vagem, chuchu, abobrinha e brócolis, oferecendo apenas 4,5g de gordura total, 0,5g de gordura saturada e 846mg de sódio em uma porção de 370g.

Poucas pessoas conhecem essas alternativas e também não se encontram com facilidade em restaurantes. Para os amantes de feijoada tradicional, nas alternativas light e vegetariana fazem parte também a couve à mineira, laranja e arroz branco. O sabor é garantido pela variedade de temperos naturais e pela combinação de ingredientes saborosos.

Apesar da palatabilidade de alimentos ricos em gordura ser grande, é só uma questão de oportunizar o consumo de um prato saudável e saboroso, educando o paladar para novos sabores e mais saúde.

As opções mais saudáveis podem fazer parte inclusive em uma dieta de emagrecimento, dieta hipossódica e hipolipídica, como a opção vegetariana, o que contribui para boa adesão ao tratamento, uma dieta variada, rica em fibras com tais alternativas, além de fazer parte de um cardápio prazeroso.

A feijoada tem semelhança com outros pratos como o cozido, em Portugal; o cassoulet, na França; a paella, à base de arroz, na Espanha; e a casouela e o bollito misto, na Itália.

As opções light e vegetariana também são boas alternativas para dias mais quentes, o que a feijoada tradicional, pelo teor de gordura total e saturada e calorias, pode causar desconforto e mal-estar.

Ethel Cristina Souza Santos
Ethel Cristina Souza Santos
@ethelsantosnutricionista
Nutricionista clínica, materno infantil e esportiva.
Nutrição integrativa, funcional e ortomolecular.

2 Respostas

  1. Claudia
    | Responder

    Valeu pela dica!

    • Fernanda Pimenta
      | Responder

      Olá Claudia, que bom que gostou da dica, espero que use no seu dia a dia!

Deixe uma resposta