Dieta cetogênica: quais alimentos não devem ser consumidos?

A dieta cetogênica se caracteriza por uma alimentação com predomínio de gorduras, proteína moderada e baixo carboidrato. Tem o objetivo de colocar o corpo no estado fisiológico de cetose e, para isso, a distribuição dos macronutrientes deve ser: gordura (70%), proteína (25%) e bem pouco carboidrato (menos de 5%).

Essa abordagem nutricional é usada há muitos anos pela medicina no tratamento da epilepsia em crianças fármaco resistentes. Porém, recentemente vem sendo indicada para pessoas que precisam perder peso e até mesmo para pacientes diabéticos, por ser uma alimentação com restrição de carboidratos e que acaba por controlar melhor a glicemia.

Muitos estudos têm demonstrado que esse tipo de alimentação possui bases fisiológicas e bioquímicas capazes de induzir a perda de peso efetiva e, com isso, levar à melhora de diversos parâmetros de risco cardiovascular.

Portanto, mostra-se eficaz a curto e médio prazo no combate à obesidade e doenças associadas.

Mas como funciona a dieta cetogênica?

Após 3 a 4 dias de uma dieta de muito baixo carboidrato, que muitas vezes é associada ao jejum intermitente, o nosso organismo deixa de usar a glicose como substrato energético e precisa de uma fonte de energia alternativa.

Esta é derivada da superprodução de acetil-CoA, que leva à produção dos chamados corpos cetônicos, um processo denominado cetogênese que ocorre principalmente na matriz mitocondrial do fígado.

Essa é a condição metabólica denominada “cetose fisiológica”.

Por ser uma alimentação com muito pouco carboidrato, torna-se uma dieta bem difícil e restritiva, que não deve ser seguida por um período maior que 20 dias.

Na minha prática clínica, uso a cetogênica dentro de um processo de reeducação alimentar, em que o paciente deve primeiro mudar seus hábitos para aprender a se relacionar com a comida e a perda de peso virá como resultado.

A cetogênica será uma estratégia dentro desse processo de reeducação, pois, de nada adianta você fazer uma restrição severa por 10 ou 15 dias, perder 3 a 6 kg e depois voltar para os seus hábitos antigos e ganhar peso novamente.

Sendo assim, utilizo a cetogênica dentro do processo de reeducação alimentar por um período de 15 dias e os pacientes costumam perder uma média de 3 kg nesse período.

Caso seja necessário, podemos repetir essa conduta nutricional a cada 2 meses, o que chamamos de periodização da dieta, pois ajuda o metabolismo a se manter ativo e evita que o organismo entre no efeito platô.

O maior desafio da dieta cetogênica são os alimentos proibidos, como:

  • Pães;
  • Bolos;
  • Doces;
  • Massas;
  • Arroz;
  • Batatas;
  • Aipim;
  • Inhame;
  • Abóbora;
  • Tapioca;
  • Frutas devem ser consumidas com orientação.

Além disso, todos os alimentos ricos em carboidratos devem ser evitados.

Cabe ainda fazer uma ressalva, pois vejo por aí muitas pessoas fazendo a dieta cetogênica e incluindo no dia a dia alimentos que antes não eram consumidos e ricos em gorduras saturadas, como bacon.

Não sou a favor desse tipo de cetogênica e gosto de usar gorduras boas como as castanhas, azeite, abacate e até mesmo o açaí puro.

Parece difícil, mas não é. Procure a ajuda de um profissional e tenha sempre no congelador opções de refeições saborosas que podem ser usadas na dieta.

Fernanda Caldas

 

Fernanda Caldas

Nutricionista

CRN4 15100930

Nutrição Corporativa

(21) 99642-1312

www.nutricaocorporativa.com.br

Deixe uma resposta