Cuidados na hora de comprar peixe

Muito consumido na Semana Santa, o peixe é um alimento que se deteriora facilmente, e por isso deve chegar ao freezer do consumidor o mais rápido possível. Sua importância nutricional não se limita ao teor proteico – o peixe é também uma importante fonte de vitaminas, minerais e determinados ácidos graxos, como os ácidos ómega 3 e 6.

Ao comprar peixe, é essencial que consideremos algumas características que indicam se ele está fresco ou não. Seguem algumas dicas:

. Cheiro: peixe freco quase não tem cheiro – se tiver, deve ser agradável, muitas vezes descrito como “cheiro de maresia”.

. Aspecto exterior: deve ser limpo e brilhante; a pele deve ser úmida e rija (se as escamas saírem facilmente, é sinal de que o peixe está alterado);

. Olhos: saltados e brilhantes; córnea transparente e a pupila negra e convexa.

. Guelras: devem ter cor avermelhada viva e não ter muco.

. Carne: não deve estar ressecada nem descolorada; deve ser firme (o que pode ser testado se a pressionarmos com os dedos – se deixar marca, é sinal que o peixe está alterado) e bem presa às espinhas.

Vísceras: não devem ter mau cheiro nem mucosidade.

Os pedaços, as postas e os filés não dever ser cortados com muita antecedência. Quando for comprar peixe congelado, verifique se a embalagem está perfeita, sem cristais de gelo, com cheiro suave e fresco.

A descoloração, a mudança de cor ou os cristais indicam que o peixe pode ter sido descongelado e congelado novamente. Os filés à milanesa dever estar secos, nunca úmidos.

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta