Conheça mitos e verdades sobre dietas

Comer à noite engorda?

Carboidratos são vilões da dieta?

Existem alimentos e suplementos com superpoderes para o emagrecimento?

Todos nós já ouvimos um “fato” sobre comida que acreditamos ser a verdade para descobrir mais tarde que era falso. Quando se trata de alimentação e nutrição, existem mitos e equívocos que circularam ao longo do tempo, especialmente nos tempos atuais, em que a internet ganha o mundo.

Então, como podemos diferenciar fato de ficção com tantos mitos relacionados à alimentação? Procurando as respostas com bases científicas, claro! Nada de acreditar em pseudo profissionais apenas porque possuem milhões de seguidores.

Mito 1: comer à noite engorda

Quando me perguntam algo do tipo, sempre começo a resposta falando o seguinte: engordar, assim como emagrecer, é um processo muito mais complexo do que se imagina. Mas, no final, o que vale é o balanço entre o que se come e o que se gasta.

Vamos pensar em um pão francês. Um pão francês possui em média 310 kcal. E essa caloria será a mesma se consumida pela manhã ou à noite, obviamente. Mas eu falei do gasto energético, não é?

Então, você acha que seu metabolismo e hormônios trabalham da mesma forma pela manhã e de noite? Pois é… Não mesmo! Isso graças ao nosso ciclo circadiano, que é o maestro dos nossos hormônios de sono e vigília.

Ah, então de noite eu não deveria comer? Não é isso. Mas vale seguir aquele velho ditado: Tome café como um rei, almoce como um príncipe e jante como um plebeu. Ou seja, de noite pode ser mais válido uma alimentação mais leve, já que estamos entrando no modo de descanso.

Mito 2: carboidratos são vilões da dieta

Os grãos são comumente vistos como vilões da dieta hoje, principalmente pelos defensores da dieta “Low Carb”. Enquanto o movimento anticarboidratos é forte quando se trata de grãos refinados, eles podem ser equivocados quando se trata de grãos integrais.

Pois os grãos refinados foram despojados de grande parte de seu valor nutricional antes do consumo. Por exemplo, quando refinamos o trigo para fazer farinha branca, duas das três partes do grão de trigo são removidas: o gérmen e o farelo.

O germe é o depósito de nutrientes para o grão de trigo; é onde reside a maioria dos ácidos graxos essenciais, vitaminas, minerais e fitoquímicos.

O farelo serve para proteger o conteúdo do grão e seu principal benefício é a fibra. O que resta é o endosperma, que é principalmente amido, algumas proteínas e uma quantidade minúscula de vitaminas e minerais.

O problema com o refino de grãos é o que fica para trás. No processo de transformar bagas de trigo em farinha branca, perdemos aproximadamente 80% das vitaminas, minerais e fibras e 95% dos fitoquímicos protetores.

Então, pensando por esse lado, precisamos mesmo retirar o carboidrato da dieta ou precisamos apenas fazer melhores escolhas?

Mito 3: alimentos e suplementos milagrosos

A cada dia, um alimento ou suplemento novo cai nas graças da internet. Os chamados superalimentos são uma parte cada vez mais importante de uma indústria global de antienvelhecimento e outras promessas e está em rápido crescimento.

Esta indústria evoluiu para uma gama difusa de produtos e serviços que são comercializados como “antienvelhecimento”, “anticâncer”… e jogam no colo do consumidor a responsabilidade de se cuidar de forma ativa investindo nesses produtos.

Se baseiam fortemente no marketing da promessa de bem-estar, juventude, vitalidade e autotransformação – em vez de evidências clínicas de eficácia e segurança, que na maioria das vezes faltam.

O que o consumidor precisa saber é que pode de fato se tratar de um bom alimento (ou até mesmo um suplemento muito eficaz), mas que nada substitui o equilíbrio.

Não existe um único alimento que faça milagres, assim como nenhum suplemento sozinho pode resolver uma carência nutricional.

É necessário sempre o acompanhamento de um profissional responsável para que haja uma real mudança no estilo de vida como um todo.

 

Nutricionista Gabriela Marcelino

Gabriela Marcelino
Nutricionista responsável técnica na Congelados da Sônia LTDA. Graduada pelo Instituto Metodista Bennett, mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos pelo Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), especialista em Gestão da Segurança de alimentos na cadeia produtiva de alimentos e bebidas pelo Instituto Senai de Educação Superior, Técnica com formação especial em processamento de frutas e hortaliças pelo antigo Centro Nacional de tecnologia de produtos alimentares/Senai

 

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta