logoblog

Como conservar hortaliças?

Um dos tópicos que mais abordamos aqui no blog é a importância de uma alimentação variada para a saúde do nosso organismo. Entre as diversas opções de alimentos saudáveis que devemos incorporar no dia a dia, as hortaliças se destacam pela sua ampla variedade e possibilidades de preparo.

Mas, para termos refeições saborosas e nutritivas com as hortaliças, precisamos também aprender a conservar esses alimentos. Além de aumentar a durabilidade, o armazenamento correto é primordial para manter os atributos de sabor, cor, aroma e textura, e também não prejudicar sua composição e teor de nutrientes, como vitaminas, sais minerais e fibras alimentares.

Outro ponto fundamental sobre a conservação das hortaliças é manter sua qualidade microbiológica, ou seja, a ausência de microorganismos e parasitas que podem causar doenças. Sendo assim, vamos aprender os benefícios das hortaliças para saúde e como conservá-las da melhor forma? Continue a leitura!

Benefícios das hortaliças para a saúde

Hortaliças são plantas de folhas pequenas e alongadas, das quais uma ou mais partes são utilizadas em nossa alimentação. São divididas em três classificações: verduras, legumes e raízes/tubérculos.

Conforme já apontado no início do artigo, as hortaliças são primordiais para uma alimentação saudável, com atuação importante na proteção da flora intestinal, eliminação de toxinas e redução do risco de doenças. Elas também são ricas em fibras alimentares, minerais, antioxidantes e vitaminas, além de serem compostas por água, que auxilia a manter a hidratação do nosso corpo.

Para usufruir de tantos benefícios, o recomendado é incluir, pelo menos, duas hortaliças diferentes em cada refeição. Para não enjoar das mesmas escolhas todos os dias, alterne a variedade entre folhas, frutos e raízes, além de experimentar as diferentes possibilidades de preparo desses alimentos tão versáteis.

Aprenda como escolher, preparar e conservar hortaliças

Agora que você já conhece os principais benefícios das hortaliças para a saúde, chegou o momento de aprender como conservá-las para preservar seus nutrientes e aumentar a durabilidade.

Esse cuidado tem início antes mesmo do alimento chegar à sua casa, durante a escolha das hortaliças na compra. Confira algumas dicas gerais:

  • Escolha os alimentos um a um, evitando pacotes fechados;
  • Verifique a firmeza do alimento e tenha atenção com partes moles/com odor forte;
  • Evite as folhas quando estão amareladas, esbranquiçadas, queimadas, furadas e murchas;
  • Observe se as cascas estão intactas;
  • Também observar a cor da hortaliça, que deve seguir seu padrão natural;
  • Verifique se há sinais de brotações, que indica produto envelhecido;
  • Evite comprar as hortaliças já picadas e descascadas, já que terão seu processo de envelhecimento acelerado;
  • Prefira comprar as hortaliças em sua “época” de safra para garantir alimentos mais frescos e suculentos.

Esse último tópico é um dos mais importantes também quando consideramos a durabilidade das hortaliças. Por fazerem parte de um grupo alimentar muito diverso, elas apresentam diferentes características nesse sentido.

Algumas podem ser conservadas por semanas sem grande esforço. Outras estragam do dia para a noite. Por isso, organize suas compras lembrando que:

  • Durabilidade alta: batata, cebola, alho, abóbora, repolho;
  • Durabilidade média: Cenoura, nabo, rabanete, cará, mandioca, batata-doce, tomate, berinjela, abobrinha, pimentão, pepino, quiabo, couve, couve-flor, alface-americana, brócolis-ninja, alho-poró, hortelã;
  • Durabilidade baixa: mandioquinha, milho verde, ervilha, brócolis-ramoso, aspargo, salsa, cebolinha, coentro, alface-lisa, rúcula.

Depois da compra, vamos entender agora algumas características sobre a conservação das hortaliças. Como temos uma grande variedade de tipos, consideramos os mais consumidos pelos brasileiros para trazer as dicas sobre higienização e armazenamento.

Verduras (agrião, alface, chicória, couve, rúcula, escarola, brócolis, couve-flor, espinafre, repolho, taioba, endívia, etc)

As hortaliças folhosas estragam muito fácil, seja em temperatura ambiente ou dentro da geladeira. Para aumentar sua durabilidade, alguns cuidados devem ser tomados. De forma geral, costumam durar de um a quatro dias fora da geladeira em local fresco – dependendo do tipo de verdura.

Para aumentar esse tempo de conservação, lave folha por folha em água corrente gelada. Em seguida, coloque-as de molho em água com alguma solução bactericida para hortaliças. Leia o rótulo do alimento e verifique a quantidade ideal por litro de água, assim como o tempo de ação do produto.

Depois, enxágue bem folha por folha, retirando possíveis partes manchadas e estragadas. O próximo passo é secar bem, uma a uma. É fundamental retirar a umidade, pois isso acelera o envelhecimento das hortaliças folhosas. Quanto mais secas ficarem, melhor! Você pode usar papel toalha ou um pano limpo e esterilizado para isso.

Para armazenar, utilize uma vasilha de plástico com tampa e guarde na geladeira. Uma forma de controlar a umidade é intercalar as folhas com papel toalha. Também é possível guardar as hortaliças folhosas em sacos plásticos esterilizados.

Legumes, raízes e tubérculos (batata, cenoura, abóbora, beterraba, mandioquinha, ervilhas, milho, berinjela, abobrinha, vagem, aspargos, etc.)

Legumes, raízes e tubérculos podem durar até duas semanas em temperatura ambiente e abrigo da luz, dependendo das suas características individuais. Na geladeira, duram mais tempo quando embaladas em sacos plásticos.

Se não houver expectativa de consumo rápido, esses tipos de hortaliças podem ser congelados através da técnica de branqueamento. O processo começa com a higienização em água corrente.

Depois, prepare um pré-cozimento rápido. Corte-os em pedaços de tamanhos iguais e cozinhe-os por poucos minutos, considerando um litro de água para cada 100 gramas. O tempo de cozimento varia conforme o tipo de alimento, mas verifique se ficam “al dente”, ou seja, firmes e não moles ao serem perfurados.

Depois, mergulhe os pedaços ainda quentes em um recipiente com água e gelo, promovendo um choque térmico. Escorra-os em seguida e embale-o em potes com tampa ou sacos plásticos para serem levados ao freezer.

Alho e cebola

Quando mantidos em local arejado, seco e escuro, alho e cebola podem ser conservados por um longo período sem refrigeração. A umidade prejudica a durabilidade desses dois alimentos, por isso não é recomendado seu armazenamento em geladeira, quando inteiros.

Descascados, picados ou ralados, devem ser refrigerados em uma vasilha com tampa. Nessas condições, o alho pode durar até cinco dias, enquanto a cebola tem um período de validade menor, cerca de 24 horas. Quando se adiciona sal neste preparo, o tempo de conservação aumenta, chegando a ultrapassar algumas semanas.

O congelamento de alho não é aconselhável, pois o processo altera a textura e o sabor. Já a cebola pode ser congelada picada ou em rodelas. Primeiro, coloque em uma travessa aberta para que os pedaços sejam congelados de forma individual. Quando estiverem duros, acondicionado em um saco plástico ou pote com tampa.

Pepino, pimentão e tomate

Alguns tipos de hortaliças, como pepino, pimentão e tomate, conservam-se melhor quando refrigerados. Recomenda-se lavar em água corrente, deixar de molho em água com um produto específico para a higienização de alimentos e depois enxaguar um a um.

Após secar com papel toalha ou pano limpo e esterilizado, guarde os alimentos em sacos de plásticos perfurados. Leve à geladeira, preferindo a parte inferior. No caso do tomate, o congelamento é permitido em formato de molho ou purê.

Curtiu as dicas de como conservar hortaliças?

Viu como é simples aumentar a durabilidade das hortaliças? Se você tem dúvidas da conservação de algum alimento específico, deixe sua dúvida nos comentários e continue acompanhando as dicas aqui no blog da Congelados da Sônia.

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta