Como começar a reeducação alimentar?

Quando há um desejo de emagrecer, normalmente o primeiro passo é apelar para dietas restritivas. Mas, na maioria das vezes, elas se mostram eficientes num primeiro momento, mas impossíveis de se manter a longo prazo e podem acarretar o “efeito sanfona”. Para evitar esse tipo de hábito que não agrega a um estilo de vida saudável, a reeducação alimentar se torna a melhor escolha.

Por que investir na reeducação alimentar?

A reeducação alimentar pode ser definida como uma mudança nos hábitos e nos comportamentos ligados à alimentação. Seu principal objetivo é que a pessoa passe a escolher alimentos saudáveis e naturais, com mais nutrientes, fibras, proteínas e gorduras saudáveis e que faça isso de forma gradativa.

Consequentemente, o consumo de alimentos industrializados e ricos em gordura e açúcar tende a diminuir. Além de favorecer a perda de peso de forma gradual, sem o “efeito sanfona”, a reeducação alimentar também é uma aliada do bem-estar e da qualidade de vida a longo prazo, já que auxilia na redução do risco de doenças.

Outro lado interessante da reeducação alimentar é que não é apenas o prato da pessoa que muda. Na maioria das vezes, acontece também uma transformação no estilo de vida, no qual aprende-se a importância de beber mais água, praticar exercícios físicos, estabelecer uma rotina de alimentação e até a mastigar corretamente.

São muitos benefícios que se encontram em um trunfo importante: a reeducação alimentar nos ensina a comer melhor, a manter um peso adequado e, principalmente, a fazer (e manter) esse estilo de vida a longo prazo.

O que fazer para iniciar a reeducação alimentar?

Como qualquer mudança necessária na alimentação, a reeducação alimentar começa com uma consulta em um nutricionista. Isso porque é o profissional mais indicado para entender as condições atuais de saúde do paciente e quais os objetivos com essa transformação.

Com esse panorama, o nutricionista poderá sugerir um cardápio que atenda às necessidades individuais da pessoa e também indicará outras mudanças no estilo de vida. Mas, existem algumas premissas que são universais para quem deseja começar a reeducação alimentar hoje mesmo. Confira:

  • Beba mais água

O hábito de ingerir de 1,5 a 3 litros de água por dia é muito importante para manter a saúde em dia. Isso porque a bebida é fundamental para o funcionamento do organismo, além de não conter calorias, ajudar no controle do apetite e na digestão.

Quem tem dificuldade de manter esse hábito pode encontrar nas águas aromatizadas uma forma mais simples de incorporar a ingestão de água na rotina. Outra alternativa é investir nos chás sem açúcar.

  • Mastigar bem (e devagar)

Uma dica eficiente para comer menos é mastigar os alimentos por mais tempo. Esse pequeno “truque” ajuda o cérebro a entender que o estômago está cheio e ajuda na estabilização da sensação de saciedade. Além disso, quanto mais mastigamos, melhor será a digestão.

  • Comer em intervalos de 3 ou 4 horas

Determinar uma rotina de horários para comer – evitando beliscar nos intervalos – também é uma forma de iniciar a reeducação alimentar. Uma dica é determinar um cronograma de alimentação, com café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar.

  • Incluir vegetais (legumes, folhosos e frutas) nas refeições principais

Se você ainda não tem o hábito de comer uma salada ou incluir legumes no almoço e no jantar, comece a fazer isso. Com ótima quantidade de água e fibras, esses alimentos são fundamentais para controlar a fome, além de serem repletos de nutrientes.

  • Comer frutas todos os dias

As frutas são uma parte importante da alimentação saudável e podem ser uma alternativa mais nutritiva de sobremesa. Elas também são ricas em fibras e nutrientes e auxiliam na vontade de comer aquele doce fora de hora. Também são uma ótima opção de lanche.

  • Priorizar proteínas magras nas refeições

A proteína é um dos grupos alimentares primordiais para uma refeição saudável. Mas, não adianta muito se a escolha for um bife com gordura, por exemplo. Preferir as proteínas magras, como frango, peixe e tofu, também faz parte da reeducação alimentar.

  • Escolher cereais integrais

Quem não resiste a um delicioso prato de arroz e feijão? Mas, esse arroz pode ser integral. A substituição dos cereais é uma forma importante de deixar a refeição muito mais saudável e rica em fibras. Por isso, prefira os grãos integrais na hora de saborear arroz, pão e macarrão.

  • Evitar alimentos ultraprocessados

Refrigerante, sorvete, refeições “fast food”, bolachas, temperos pronto e macarrão instantâneo são exemplos de alimentos ultraprocessados. Além de conter muito sódio, açúcar e gordura, eles potencializam a sensação de fome e o consumo de calorias por conta das características do produto.

  • Praticar atividades físicas

A prática regular de atividades físicas é fundamental para quem está investindo na reeducação alimentar. Isso porque os exercícios físicos promovem a liberação de hormônios do prazer, como endorfina e dopamina, o que evita a ansiedade que pode levar à compulsão alimentar.

E, claro, as atividades físicas também ajudam a acelerar o metabolismo, favorecem a queima do excesso de gordura corporal e ajudam na perda de peso.

Dica mais importante: planeje as suas refeições

Deixamos a dica mais importante por último para lembrar um detalhe que pode colocar todo o esforço a perder: o planejamento das refeições. Não adianta a pessoa estar disposta a mudar a sua alimentação se chegar em casa e se deparar com alimentos industrializados na despensa e geladeira.

Então, evitar comprar esse tipo de alimento e planejar as refeições em família de forma que tenham um cardápio essencialmente saudável é fundamental. Além disso, essa organização favorece que os pratos sejam variados e saborosos, fundamental para evitar a monotonia alimentar.

Uma forma de fazer isso de forma prática é investir nos kits de refeições congeladas. Além de serem mais práticas – basta utilizar o micro-ondas para esquentar – fica mais fácil garantir que toda a família se alimente de forma nutritiva e ainda com variedade.

Uma das empresas especializadas nestes pacotes é a Congelados da Sônia, que oferece opções diversas de refeições congeladas, incluindo kits voltados exclusivamente para reeducação alimentar e pratos que prometem agradar o paladar.
As refeições são planejadas por nutricionistas e são extremamente saborosas, feitas com ingredientes selecionados e temperos naturais. Selecionamos 10 refeições para comprovar a variedade dos kits e como a sua reeducação alimentar pode ser tudo, menos monótona. Confira:

1 – Carne ao Molho Madeira

Carne assada lentamente por 15 horas em baixa temperatura, ao molho tipo madeira e champignon. Acompanha arroz integral com cenoura.

2 – Feijão Azuki com Arroz e Frango Grelhado

Feijão azuki cozido com abóbora, cheiro verde e cominho. Acompanha arroz integral e bifinhos de peito de frango grelhado.

3 – Linguado na Baroa

Filé coberto com molho de tomate e cebola. Acompanha fino creme de batata baroa.

4 – Estrogonofe de Legumes

Legumes e cogumelos, ao creme de castanha de caju, com arroz integral e espinafre.

5 – Espaguete de Pupunha à Bolonhesa de Frango

Frango moído com molho de tomate caseiro sobre espaguete de palmito pupunha salpicado de parmesão.

6 – Feijoada Light

Cremoso feijão preto num tempero caseiro com carne seca e carne fresca desengorduradas. Guarnições: arroz soltinho e couve mineira fininha refogada.

7 – Panqueca de Frango

Delicadas panquecas recheadas com refogadinho de peito de frango, ao toque de azeitona pretas, cobertas com caseiro molho de tomate e salpicadas por queijo muzzarela. Acompanha creme de espinafre.

8 – Sopa de Batata com Agrião

Preparada com cubinhos de frango, creme de batatas e um fio de azeite, nossa Sopa de Batata com Agrião merece um lugar especial em sua mesa.

9 – Salada de Atum

Nossa Salada de Atum é feita com macarrão tipo penne sem glúten, com saboroso atum, além do toque de ervilhas e uvas-passas.

10 – Penne ao Camarão Gourmet

O Penne ao Camarão Gourmet é um prato único, com massa grano duro e sem glúten e saboroso molho de camarão.

Para ver mais as dezenas de refeições para reeducação alimentar no Congelados da Sônia, clique aqui.

 

Nutricionista Gabriela Marcelino

Gabriela Marcelino
Nutricionista responsável técnica na Congelados da Sônia LTDA. Graduada pelo Instituto Metodista Bennett, mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos pelo Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), especialista em Gestão da Segurança de alimentos na cadeia produtiva de alimentos e bebidas pelo Instituto Senai de Educação Superior, Técnica com formação especial em processamento de frutas e hortaliças pelo antigo Centro Nacional de tecnologia de produtos alimentares/Senai.

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta