Carboidrato: o combustível do corpo





O assunto de hoje é sobre o famoso carboidrato. Algumas pessoas defendem o seu consumo, enquanto outras preferem não consumir. Entretanto, a Nutricionista Jailma Ferreira nos explica qual a real importância dos carboidratos na alimentação. Então, se você está em dúvida se pode ingerir carboidratos na dieta, a resposta está aqui!

Atualmente, muito se fala sobre o carboidrato na alimentação, especialmente nos casos de emagrecimento.  

Essa é uma pergunta bem comum: existe uma quantidade ideal de carboidrato para homens, mulheres e crianças? De acordo com a nutricionista, sim, existe!

Os carboidratos têm a função de fornecer energia ao nosso corpo, para ambos os sexos e faixa etária.

O nosso corpo converte todos os carboidratos em glicose que é o combustível das nossas células. Assim, cada pessoa possui o seu metabolismo com sua taxa calórica.

A quantidade ideal de carboidratos sempre dependerá da sua idade, sexo, composição corporal, prática de atividade física e sua saúde metabólica.

comer carboidrato                         É importante saber quais carboidratos são indicados para o corpo e avaliar a saúde da pessoa

Portanto, é muito importante avaliar se a pessoa prática atividade anaeróbica de alta intensidade, se sua saúde metabólica está 100%.

Na alimentação infantil o carboidrato desempenha um importante papel, visto que o cérebro consome 100g de glicose, a forma líquida dos hidratos, diário, algo muito importante para o sistema nervoso central, evitando que a criança tenha um déficit.

Mas vale ressaltar que devemos sempre avaliar a qualidade do carboidrato seja para o homem, mulher ou criança.

Veja mais conteúdos: Afinal, o pão é um vilão? Entenda de uma vez por todas sobre este alimento!Glúten na alimentação: eliminar ou não?

E experimente nossos pratos individuais e nossos kits especiais para homens e mulheres, crianças e terceira idade!

 

Jailma Ferreira

Nutricionista Clínica e funcional  
Especialista em Nutrição Oncológica pela SBNO
Pós graduada em: Nutrição clínica, Nutrição funcional e esportiva, Nutrição materno-infantil

 


Deixe uma resposta