Bons hábitos alimentares: chave para a qualidade de vida

Qualidade de vida é uma meta que não é fácil de alcançar. Todo dia somos bombardeados por propagandas de alimentos baratos e nocivos à saúde – pizzas, hambúrgueres, salgados, tudo isso, aliado à falta de tempo para preparar uma refeição adequada e praticar uma atividade física, torna-se difícil manter uma alimentação saudável e sem excessos.

Não é à toa que a quantidade de brasileiros acima do peso aumentou 26,3% em dez anos – já totalizando 53,8% da população, segundo o Ministério da Saúde. Com esse aumento, crescem também os casos de hipertensão arterial e diabetes – que já atingem 25,7% e 8,9% da população, respectivamente.

Uma das formas de frear o avanço desses males é a adoção de hábitos alimentares saudáveis. Uma boa alimentação ajuda a proteger e prevenir o organismo das principais doenças, melhora o desempenho em atividades físicas, controla o peso, ameniza intolerâncias e alergias alimentares e reduz fatores de risco de problemas crônicos.

Mas mudar esses hábitos não é sempre uma tarefa simples. Por isso, selecionamos 3 dicas para te ajudar a desenvolver bons hábitos alimentares!

1. Evite alimentos industrializados

Não caia na tentação das comidinhas rápidas e gostosas. Fuja de refrigerantes, doces, bolachas, biscoitos, salgadinhos e outras guloseimas. Esses alimentos são tentadores, mas só tem como função alegrar o paladar e agregar à gordura corporal. Para matar a fome, faça uma refeição saudável e equilibrada – arroz com feijão e salada multicolorida, por exemplo. Para lanches rápidos coma frutas, barrinhas, sanduíches e sucos naturais, eles são opções saudáveis e nutritivas .

2. Selecione o que vai comer

Inclua na sua dieta seis porções do grupo de cereais (arroz, milho, trigo, pães e massas), tubérculos (batata) e raízes (mandioca), com preferência para os grãos integrais. Adicione às refeições 3 tipos de legumes e verduras e consuma frutas nas sobremesas ou lanches. Não esqueça de incluir uma porção de carne (frango, peixe, bovina) ou ovos. Retirar a gordura das carnes (ou a pele da ave) deixa o prato ainda mais saudável!

O consumo de óleos vegetais, azeite, manteiga ou margarina deve ser restrito a uma porção diária. Fique ligado nos rótulos e escolha aquele que tiver menos gordura trans.

3. Monte bem seu prato

Para a dieta dar certo, é importante comer a quantidade certa – nem muito, nem pouco. Não exagere na quantidade de legumes ou de arroz, mas busque um equilíbrio entre os alimentos. O ideal é ter um pouco de cada coisa; por exemplo, uma porção de salada, uma de carne, uma de arroz e outra de feijão. Também é importante ficar atento à qualidade dos ingredientes; se a aparência deixar dúvidas sobre a viabilidade do consumo, não hesite em deixar de comer.

Adotar uma alimentação saudável não é um bicho de sete cabeças, no fim das contas. Seguindo esses conselhos, os resultados a longo prazo certamente vão atender às expectativas. Começar é difícil, mas os benefícios com certeza farão essa jornada valer a pena!!

 

reeducacao-alimentar

Postagens Relacionadas

2 Respostas

  1. Ia Dantos
    | Responder

    Sonia achei 10 sua postagem. Onde acesso os pratos para escolher? Um beijo Ia Santos

    • Congelados da Sônia
      | Responder

      Oi La Santos, tudo bem?
      Que bom que você gostou do nosso conteúdo! Para conhecer os nossos pratos e Kits refeições acesse nosso site.
      http://www.congeladosdasonia.com.br
      Obrigada!

Deixe uma resposta