Azeite: como escolher a melhor opção?

Entre os séculos VII e III a.C. o óleo de oliva começou a ser investigado por filósofos, médicos e historiadores da época pelas suas propriedades benéficas à saúde.  As populações mediterrâneas utilizam o azeite há muito tempo. Os benefícios desta dieta já são muito conhecidos e todos nós sabemos que o azeite é um alimento saudável composto por ácidos graxos monoinsaturados, vitamina E, vitamina A e substâncias antioxidantes que contribuem para a saúde cardiovascular, sendo considerado um alimento funcional.

Seu sabor agradável e os benefícios à saúde fazem com que o azeite seja cada vez mais consumido no mundo e ganhe cada vez mais espaço na mesa dos brasileiros também.  Por este motivo, hoje faremos a seguinte pergunta: Você sabe escolher um bom azeite? Nas prateleiras dos supermercados há diversas marcas com diferentes classificações e preços e isso confunde muita gente.Classificação do azeite:

Azeites Virgens– São aqueles obtidos a partir do fruto da oliveira por processos mecânicos ou outros processos físicos em condições que não alterem o azeite e não tenham sofrido outros tratamentos além da lavagem, decantação, centrifugação e filtração. Podem se dividir em Azeite extravirgem ou Azeite virgem.

O Azeite Extravirgem é o de melhor qualidade. Sua acidez não excede 1%. Não sofre nenhum refino químico e por isso é o mais puro e o mais rico em nutrientes, sendo o mais saudável de todos os tipos de azeite.

Já o Azeite Virgem, apesar de não ser tão bom quanto o do tipo “extra”, tem boa qualidade também. Aqueles que são mais “experts” podem sentir ligeira alteração no cheiro e sabor. A acidez não pode ser superior a 2%.

Por que considerar a acidez? A acidez tende a ser menor quando a coleta e o processamento das azeitonas são bem feitos. Por isso é comum que bons azeites tenham acidez baixa.

Além destes dois tipos, há também o azeite refinado e o azeite composto. Estes não devem ser considerados como opções por quem deseja usufruir o poder funcional do azeite para a saúde. Há considerável perda de sabor, cor, aroma e nutrientes. O tipo composto é constituído de azeite refinado com outros tipos de óleos como o de soja, por exemplo. A qualidade é muito inferior.

A preferência deve ser pelo extravirgem por todos os benefícios já citados. É o tipo mais caro, é verdade, mas vale a pena. Compre um bom azeite e use com moderação. Uma colher de sobremesa no almoço e outra no jantar, regularmente, podem trazer benefícios à saúde desde que aliados à boa alimentação e estilo de vida saudável.  Lembre-se: Nada de exagerar na quantidade. O azeite faz bem, mas seu consumo sem controle não ajuda em nada na dieta.

Postagens Relacionadas

Uma resposta

  1. Rafael Cassemiro
    | Responder

    É verdade se o Azeite obter uma certa temperatura ele deixa de ser saudável.

Deixe uma resposta