Alimentação saudável e a boa memória

Não é novidade que com o passar dos anos o corpo vai perdendo vitalidade e, com o cérebro não é diferente. Isso ocorre pela ação dos radicais livres nas células que levam a diminuição de energia. Esses componentes influem na atuação dos neurônios, ocasionam o desaparecimento das sinapses e diminuem a comunicação entre as células, essa junção encadeada de fatores age diretamente no bom funcionamento mental.

O cenário realmente não é dos melhores, mas ele pode ser retardado com medidas como exercícios físicos e, principalmente, uma dieta balanceada. Uma alimentação desregrada pode ser a grande responsável pelos conhecidos “brancos” e a sensação de memória “curta”, para alguns especialistas uma das saídas para isso é fornecer ao cérebro mais antioxidantes e, assim, combater os radicais livres.

Uma boa alimentação que contribua para memória deve ter seu início com um bom café da manhã contendo, por exemplo, o ovo. Ele contém colina, substância responsável pela formação do tecido cerebral. Outra alternativa é adicionar pão integral, frutas e glicose, essa junção colabora, e muito, para o bom desempenho do cérebro.

Já no almoço ou na janta é interessante introduzir peixes à alimentação ao menos três vezes por semana. Quem nunca ouviu falar que eles são ótimos para memória? Pois é, isso não é mito. Os peixes, principalmente o salmão, a sardinha e o arenque são ricos em ômega 3. Esse ácido graxo contribui na sinalização nervosa e ajuda a comunicação entre os neurônios, fato fundamental para a boa memória.

Abusar das hortaliças e frutas é também muito importante. A fisetina, uma substância que existe naturalmente em morangos e outros vegetais e frutas, estimula mecanismos do cérebro que melhoram a memória de longo prazo. Como podemos ver, existem diversos alimentos que colaboram para o bom funcionamento do cérebro, mas não existe fórmula mágica, é importante aderir à alimentação saudável o quanto antes e adotá-la como hábito para sempre.

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta