logoblog

Alergia alimentar X Intolerância alimentar

alergia alimentar

A principal diferença entre intolerância e alergia alimentar é o tipo de resposta que o organismo apresenta quando entra em contato com o alimento.

Na alergia alimentar ocorre uma resposta imune do corpo, geralmente mediada a partir da imunoglobulina E (IgE) a uma proteína encontrada em um alimento. O organismo cria anticorpos como se o alimento fosse um agente agressor e os sintomas são generalizados. Na grande maioria dos casos de alergia alimentar os alimentos envolvidos são: ovos, leite, trigo, soja, peixe, frutos do mar, amendoins e nozes.

Já intolerâncias alimentares são respostas adversas que indivíduos com características fisiológicas especificas apresentam ao entrarem em contato com determinado alimento. É muito importante que se saiba que nas intolerâncias alimentares não existe o envolvimento de nenhum mecanismo imunológico. O alimento não é digerido corretamente, causando desordens metabólicas e sintomas gastrointestinais.

As intolerâncias alimentares são muito mais comuns do que as alergias alimentares.

Geralmente as alergias já se apresentam desde a infância e as intolerâncias podem se manifestar em crianças maiores e adultos.

Uma pessoa que não se sinta bem ingerindo leite de vaca, pode ser intolerante a lactose (açúcar presente no leite) não apresentando quantidades adequadas a enzima lactase que é responsável pela digestão da lactose ou pode ser alérgica a caseína (proteína do leite). Caso a pessoa seja intolerante a lactose, este açúcar por não ser digerido de maneira adequada é fermentado por ação bacteriana no intestino o que provoca distensão e dor abdominal. No caso de alergia, os sintomas são muito mais graves do que os da intolerância. A pessoa alérgica a caseína pode apresentar sangue nas fezes, deficiência de crescimento e desenvolvimento, dores abdominais, vômitos, dores de cabeça e enterocolite.

Outra alergia comum de ser encontrada é a alergia ao glúten (proteína do trigo). Pessoas alérgicas ao glúten são celíacas e em caso de contato com o trigo, os sintomas gastrintestinais costumam ser bastante desconfortáveis.

Dietas radicais que excluem glúten e lactose, por exemplo, de pessoas que não apresentam nenhuma intolerância ou alergia a esses nutrientes, muitas vezes, estimulam o corpo a quando retornarem o contato com esses nutrientes, passarem a apresentar um certo grau de intolerância a eles.

Portanto, o mais importante, caso você verifique que a ingestão de algum alimento lhe causa desconforto é procurar um médico para que o diagnóstico correto seja feito. Testes imunológicos e de tolerância a determinados alimentos são realizados em laboratórios e podem confirmar ou descartar sua suspeita.

Além disso, o nutricionista pode realizar uma dieta de exclusão para que clinicamente se comprove quais alimentos provocam intolerância e são causadores de desconforto. A partir de uma dieta de exclusão, os alimentos são introduzidos lentamente, um a um, para que se observe o nível de tolerância a cada alimento pelo indivíduo.

_______________________________________________________________________________________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dra. Maria Clara Pinheiro é nutricionista especializada em nutrição clínica, esportiva e fitoterapia.

Doutoranda e mestre pela Fiocruz.

Entre em contato pelo telefone (21) 2430 – 3255

[email protected]

Visite sua página no Facebook : https://www.facebook.com/nutrimariaclarapinheiro/

Deixe uma resposta