TELEVENDAS: RJ (21) 3461-9779 / 3878-8838 | SP (11) 4007-2196 (21) 9 9996-6578
Dicas saudáveis

7 mitos sobre emagrecer

mulher sorrindo e saltando em frente ao mar Emagrecer nem sempre é uma tarefa fácil, isso é verdade. Mas nem tudo que se diz sobre emagrecimento é verdadeiro. Você sabe quais são os principais mitos sobre a perda de peso? O parceiro da Congelados da Sônia, Dr. Noé Alvarenga, escreveu um artigo sobre o assunto. Com atuação no tratamento clínico da obesidade e no emagrecimento, o especialista reuniu 7 mitos comuns sobre emagrecimento que são muito comuns em seu consultório. Confira!

Mito número 1: “Existe dieta mágica?”

Não existe. Um estudo comparando diferentes tipos de dietas e publicado em 2014 mostrou que todas as dietas que possuam restrição do número de calorias, independentemente da composição da dieta por macronutrientes – menos gordura, menos carboidrato etc. –, produzem como resultado praticamente a mesma perda de peso ao final de um ano de acompanhamento médico. O que se deve buscar é a dieta que melhor se encaixe ao estilo de vida do paciente. Mas isso deve ser feito por um profissional habilitado, médico ou nutricionista.

Mito número 2: “Quem perde peso rápido, ganha de volta rápido.”

Pelo contrário, um dos fatores que determinam a chance sucesso de um programa de emagrecimento é a velocidade inicial de perda de peso. Quanto mais peso se perde no início do tratamento, maior a chance de manter “longe” os quilos perdidos. Outros fatores que contribuem para o sucesso do emagrecimento é a aderência do paciente – a capacidade de “seguir” o plano alimentar indicado – e a frequência de acompanhamento com um profissional de saúde. Quanto maior a frequência nas consultas maior a taxa de perda de peso.

Mito número 3: “Perdi peso e ganhei tudo de novo: não valeu de nada?”

Valeu sim! Cada dia, cada semana, cada mês que o indivíduo passe com menos peso é uma conquista, é positivo e deve ser valorizado. O acúmulo excessivo de gordura corporal produz um impacto metabólico muito grande no organismo. Na obesidade, as células de gordura (adipócitos) produzem uma série de substâncias nocivas (adipocinas) que entre outras ações nocivas, aumentam a fome, diminuem o gasto energético, alteram o perfil lipídico (aumentam o LDL-colesterol, ou “colesterol ruim”, por exemplo), aumentam o risco cardiovascular e a resistência à insulina (contribuindo para o desenvolvimento do diabetes). A literatura científica respalda que a diminuição de apenas 5 a 10% do peso corporal já reduz de forma significativa os fatores de risco para diabetes e doenças cardiovasculares. Cada quilo a menos, pelo tempo que for, diminui esse impacto para o organismo. Isso é algo muito positivo e deve ser sempre comemorado.

Mito número 4: “Perder peso é apenas uma questão de força de vontade.”

Muito embora o componente psicológico seja muito importante no emagrecimento – e em tudo na vida, na verdade! –, existe, como vimos, um componente bioquímico muito forte na obesidade, representado pelas adipocinas produzidas pela gordura corporal em excesso. Uma das ações negativas das adipocinas, por exemplo, é justamente diminuir a saciedade. A pessoa come, come, come e não se sente “satisfeita”. O que pode ser falsamente interpretado por quem olha de fora como “gula” é, pelo contrário, um defeito dos mecanismos de regulação do sistema de equilíbrio energético do organismo.

Mito número 5: “Obesidade não se trata com remédio.”

Mito, mito, mito. Remédios podem ser uma ferramenta importante no tratamento da obesidade, desde que sejam prescritos por um profissional experiente. Muitos dos medicamentos usados no tratamento da obesidade atuam justamente nas regiões do cérebro que controlam a fome e a sensação de saciedade – que se encontram alterados no obeso – e podem ser benéficos. Nunca, no entanto, o remédio substituirá uma orientação alimentar e um plano de atividade física adequados, que devem formar a base de todo e qualquer programa de emagrecimento.

Mito número 6: “Fazer sexo todo dia emagrece.”

O gasto calórico envolvido em um intercurso sexual padrão é da ordem de 21 Kcal, o que é muito, muito pouco para promover uma perda de peso significativa. No entanto, existem muitas evidências de que a atividade sexual melhora em qualidade e em frequência com o emagrecimento — tanto em homens como em mulheres. A razão para isso é que o excesso de tecido adiposo prejudica a função sexual por mecanismos hormonais, vasculares, neurobiológicos e psicológicos, que são aliviados pela perda de peso.

Mito número 7: “Se eu fizer cirurgia bariátrica nunca mais eu vou ter que me preocupar com a alimentação.”

Como qualquer pessoa que já tenha passado por uma cirurgia bariátrica sabe, isso é uma tremenda inverdade. Pelo contrário, após uma cirurgia desse tipo, a atenção à alimentação deve ser redobrada. Tanto para se evitar as deficiências nutricionais (muito comuns após esse tipo de cirurgia) como para se evitar o reganho de peso – que chega a níveis significativos a partir dos 5 anos de pós-cirurgia. A cirurgia bariátrica, embora seja uma arma poderosa no combate à obesidade, não é uma solução “mágica”. É necessária uma reeducação alimentar e uma modificação do estilo de vida, além de um acompanhamento regular com equipe multiprofissional para se ter resultados duradouros.
Doutor Noé Alvarenga fala dos mitos sobre emagrecer Dr. Noé Alvarenga é médico com formação em prática ortomolecular pela SOMORJ e pós-graduado em Nutrologia pela ABRAN, com foco no tratamento da obesidade e emagrecimento. Consultório: Rua Sete de Setembro, 55, Sala 805 - Centro - Rio de Janeiro - RJ Agendamentos: (21) 2509-3479 - Whatsapp: (21) 99856-6587 Facebook: https://www.facebook.com/drnoealvarenga Instagram: https://instagram.com/drnoealvarenga
compartilhe essa postagem em suas redes sociais!

Postagens relacionadas

Light ou diet? Eis a questão de muita gente que deseja emagrecer

Outra dúvida muito comum entre os que não veem a hora de perder uns quilinhos e ficar com a saúde em dia e de bem com a pró

Leia mais

Cardápio Saudável para a Melhor Idade

A dieta saudável está indicada em todas as idades, mas é um fator ainda mais importante para a terceira idade. Pensando nessa

Leia mais

Que adoçante devo usar?

Muitas pessoas têm dúvidas sobre que tipo de adoçante devem usar. Também é comum ouvir comentários sobre ev

Leia mais

faça parte da nossa comunidade

NÃO PERCA NENHUMA NOVIDADE

ENCONTRE-NOS POR AQUI TAMBÉM!

Rua São Luis Gonzaga, 2063, Benfica

Rio de Janeiro - CEP 20910-063


TELEVENDAS

RJ (21) 3461-9779 / 3878-8838

SP (11) 4007-2196

(21) 9 9996 6578

2ª A 6ª - 9:00 ÀS 17:00